Cinco dicas de cibersegurança para empresas com home office

Mulher trabalhando home office

Durante vários anos, a tecnologia causou diversas mudanças nas atividades diárias das pessoas. O mundo está mudando constantemente e não é de surpreender que as relações de trabalho também estejam sendo reestruturadas pela evolução das tecnologias da informação e comunicação (TIC).

Uma das principais tendências atuais é a adoção do home office, um acordo que permite que os funcionários trabalhem remotamente durante parte ou todo o período de trabalho. Além do benefício ao trabalhador, o modelo é uma forma das organizações enfrentarem diferentes situações potenciais de emergência, como inundações, furacões, epidemias e falta de energia. A implementação de um plano de continuidade de negócios e o suporte a funcionários que trabalham remotamente é essencial para garantir que as empresas sejam capazes de manter as operações diante de adversidades.

Uma consideração importante para as organizações que desenvolvem um plano de continuidade de negócios é que talvez não seja possível manter as operações normais nos escritórios. A capacidade de oferecer suporte aos funcionários que trabalham remotamente é essencial para garantir a continuidade e a segurança dos negócios.

O home office também é uma estratégia eficaz para reduzir os custos operacionais, pois, com a maioria dos trabalhadores realizando suas tarefas em casa, os empregadores podem mudar para instalações menores e de baixo custo.

Segundo o IDC, 72,3% dos funcionários trabalharão remotamente até o final de 2020. No lado do funcionário, os efeitos positivos que se destacam são a redução no tempo de viagem ao escritório, flexibilidade na organização do tempo de trabalho, melhoria no equilíbrio entre vida profissional e pessoal e aumento da produtividade.

Segundo o IDC, 72,3% dos funcionários trabalharão remotamente até o final de 2020.

Os trabalhadores em home office tendem a usar seus próprios dispositivos para suas tarefas, o que implica riscos potenciais à segurança.

 

Desafios de cibersegurança

Os trabalhadores em home office tendem a usar seus próprios dispositivos para suas tarefas, o que implica riscos potenciais à segurança. Ter um alto número de dispositivos compatíveis com a rede comercial facilita a conexão de equipamentos não autorizados. Os funcionários também podem acessar páginas da Web inseguras ou baixar inadvertidamente aplicativos comprometidos, favorecendo a introdução de malware na rede de suas empresas. Por não ter uma interação regular, o trabalho remoto impede a supervisão e o controle da segurança cibernética nesses dispositivos.

A Fortinet, empresa líder global em soluções de segurança cibernética, oferece algumas recomendações para mitigar os riscos associados ao home office:

  1. Garanta conectividade confiável: Apesar dos crescentes desafios, muitas tecnologias modernas, como a Rede Privada Virtual (VPN), protegem as informações por meio de criptografia e estabelecem conexões seguras. As VPNs permitem a conexão segura de todos os dispositivos, mesmo quando acessados a partir de pontos públicos de acesso Wi-Fi, um recurso muito desejável para os empregadores que praticam o trabalho remoto e nem sempre sabem de onde seus colaboradores se conectam.

  2. Contar com filtragem de conteúdo, visibilidade de aplicativos e configuração de tráfego: trata-se de outras tecnologias de segurança cibernética que complementam o home office, principalmente porque filtram conteúdo não seguro, como sites e links de lazer, que podem comprometer dispositivos e informação.

  3. Implementar soluções robustas de autenticação: essas soluções podem garantir que apenas usuários autorizados tenham acesso a informações confidenciais da empresa.

  4. Promover uma cultura de cibersegurança: embora as medidas tecnológicas implementadas ajudem a mitigar os riscos, o principal aliado para o trabalho são os colaboradores da empresa. É necessário treiná-los continuamente sobre os riscos cibernéticos e envolvê-los ativamente na proteção do negócio. Da mesma forma, é essencial que os líderes sejam o exemplo e incorporem a liderança também na cibersegurança. Medidas simples, como bloquear a tela ao sair, podem levar outro trabalhador a replicar o comportamento.

  5. Considerar o erro humano: as empresas devem ter em conta a possibilidade de erro humano ao planejar e implantar suas soluções de segurança. Embora o treinamento adequado possa reduzir erros, é necessário entender que eles não desaparecerão completamente. As equipes de TI devem levar isso em consideração ao projetar e implantar redes da empresa.

Os benefícios do home office são evidentes e, embora possam surgir alguns desafios de cibersegurança, a implementação oportuna de soluções apropriadas pode permitir práticas produtivas e seguras para garantir a continuidade dos negócios. Para oferecer o benefício da flexibilidade a seus funcionários ou no caso de um desastre natural ou outro evento que perturbe as operações comerciais normais, toda organização deve ser capaz de fazer uma transição rápida para uma força de trabalho totalmente remota.

Contar com filtragem de conteúdo, visibilidade de aplicativos e configuração de tráfego.

Implementar soluções robustas de autenticação: essas soluções podem garantir que apenas usuários autorizados tenham acesso a informações confidenciais da empresa.

Se você gostou deste post, não deixe de compartilhá-lo em suas redes sociais.

Sysdata –Tecnologia da Informação

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *