Firewall: segurança de dados

Cadeado representando um Firewall

Os ataques cibernéticos são cada vez mais uma ameaça às empresas. O setor privado tem sido vítima de problemas de segurança e vazamentos de dados sigilosos. Os ataques podem partir de qualquer local, de dentro ou até mesmo de fora do território nacional.

Neste post, falaremos sobre a importância do firewall para a segurança das informações nas empresas. Continue a leitura e saiba mais!

Cibersegurança é prioridade

O firewall, conforme já tratamos aqui anteriomente, atua como espécie de porteiro de prédio, cuja função de identificar todos aqueles que acessam as dependências do local, barrando a entrada de pessoas não autorizadas ou potencialmente perigosas. Podemos, assim, dizer que o firewall é uma espécie de porteiro das nossas máquinas porque, trabalhando segundo critérios específicos do que pode e do que não podem entrar, impede o ataque de ameaças. 

O papel dos firewalls é extremamente importante para garantir a integridade dos dados, uma vez que informações sigilosas dentro das empresas, podem ser roubadas por invasores se a barreira de proteção estiver desativada ou não ser suficientemente eficiente.

Os três principais tipos de firewall

Pode-se afirmar que o primeiro passo para garantir a segurança de rede é ter um firewall robusto. Existem diferentes tipos de firewall, com diferentes níveis de proteção, neste texto iremos falar dos três principais. 

O firewall de inspeção de estado (Statefull Firewall) monitora o estado das conexões ativas e verifica se o pacote é parte de uma conexão já estabelecida. Neste tipo de firewall, todas as portas ficam fechadas e são abertas apenas após uma resposta interna com um número de porta especificado e coerente.

Já o firewall de aplicação, também conhecido como proxy firewall, é normalmente utilizado como uma proteção adicional ao Stateful Firewall. Nele, o proxy atua como um intermediário entre o computador e uma rede, geralmente a internet (rede externa). Esse tipo de dispositivo faz a filtragem de dados, impedindo que o fluxo passe sem qualquer controle. 

O firewall de gerenciamento unificado de ameaças engloba uma série de estratégias em uma única solução e é considerado um avanço em relação aos firewalls tradicionais, combinando proteção contra malwares, antivírus, filtro de conteúdo e controle de acesso wireless. Ele pode, ainda, oferecer soluções adicionais, como o gerenciamento em nuvem. 

A escolha do tipo de firewall envolve, claro, uma etapa de planejamento, para identificar as necessidades de cada empresa.

Outro aspecto a ser levado em consideração é que os ataques virtuais são cada vez mais aprimorados e perigosos. Fazer frente a essa realidade envolve tecnologia, mas também uma equipe especializada. Por isso, as empresas podem também considerar a contratação de um firewall como serviço. Nesse caso, a responsabilidade de fornecimento, manutenção, configuração e atualização é delegada a uma empresa especializada. Essa solução tem a vantagem de permitir que os profissionais das empresas se concentrem em outras funções.

Na ordem do dia

O debate sobre a agenda da cibersegurança foi reacendido em todo o mundo depois das denúncias de coleta massiva de dados e de espionagem pela internet, trazidas a público por Edward Snowden em 2013. 

É  evidente a necessidade de as empresas planejarem as suas ações voltadas à garantia da cibersegurança.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *